Fósseis encontrados em Araxá estão preservados no Museu de Ciências da Terra

Redação 10 de setembro de 2018 0

Ossos fossilizados foram encontrados na década de 40, nas escavações para construção do Complexo do Barreiro

Exposição dos fósseis no balneário de Araxá (Simpsom e Paula Couto, 1957).

Por Caio Ranieri

Há oito dias, registros históricos da história do Brasil foram consumidos pelo fogo, no incêndio que destruiu o Museu Nacional no Rio de Janeiro.

Fósseis encontrados na cidade de Patos de Minas, no Alto Paranaíba, por exemplo, se perderam no incêndio. Em Araxá, na década de 40, durante a construção do Grande Hotel do Barreiro, fósseis foram encontrados pelo engenheiro responsável da obra, José Ferreira de Andrade Junior e desde então, são objetos de estudo.

Reconstrução do crânio de Stegomastodon waringi, em exposição no MCTer/DNPM. A mandíbula, a maxila
e a presa são originais.

Ao contrário do que muitos pensavam, os ossos fossilizados de Araxá não estavam no Museu Nacional, mas sim, encontram-se preservados no Museu de Ciências da Terra, do Departamento Nacional da Produção Mineral (MCTer/DNPM), também na Cidade Maravilhosa.

O órgão possui uma vasta coleção de fósseis iniciada após a criação do Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil, em 1934. Todos os exemplares provenientes do jazigo de Araxá, que se encontravam na Coleção de Mamíferos Fósseis, foram analisados.

Alguns dos fósseis encontrados em Araxá, 1944 (acervo fotográfico do MCTer/DNPM).

Os primeiros fósseis provenientes de Araxá foram depositados na coleção do MCTer em abril de 1938. Foram de quatro exemplares de ossos e dentes de mastodontes.

No ano de 1944, foram realizadas duas expedições. A primeira teve como propósito o reconhecimento do jazigo e do material encontrado, e a segunda, atendendo a uma solicitação do Secretário de Viação do Estado de Minas Gerais ao Diretor da Divisão de Geologia e Mineralogia do DNPM.

Fonte Andrade Júnior, no Barreiro, guarda réplicas dos fósseis encontrados em Araxá

Nesta expedição foi realizada a coleta dos fósseis e organizada uma exposição permanente no Balneário de Araxá.

Grande parte dos fósseis desta procedência pertence ao acervo do MCTer, servindo de referência científica e participando de sua exposição permanente, com caráter educacional. Todos os fósseis são pertencentes a megafauna de mamíferos, extintos do Pleistoceno.

Mais informações sobre o Museu de Ciências da Terra e o acervo do local estão em http://www.cprm.gov.br/publique/Sobre-a-CPRM/Nossos-Museus/Museu-de-Ciencias-da-Terra—MCTer-180.

Deixe um Comentário »