Vilma Cunha Duarte lança livro de memórias no Museu Calmon Barreto

Redação 13 de junho de 2018 0

A obra é uma autobiografia que revela curiosidades da carreira da escritora, mostrando dificuldades de uma trajetória marcada pela superação

Uma obra que consola, oferece esperança com fé, coragem e aceitação. “Tem gente demais com friagens no peito”. Assim a escritora Vilma Cunha Duarte define o seu novo livro “De Aquecer Invernos no Coração”, trabalho que reúne suas memórias, sem ser autobiográfico.

São cerca de 200 páginas divididas em cinco capítulos, começando com o nascimento e terminando em outros caminhos. A autora emociona o leitor revelando curiosidades da sua carreira como professora, escritora e principalmente sua trajetória pessoal marcada por superação.

“De forma transparente procurei reunir pedaços de minha vida sem retoques. Vida com muitas dificuldades, mas que jamais foram motivos para lamentação. É uma ousadia literária, uma viagem pelas lembranças com a coragem de ver o futuro sempre com otimismo na certeza de que o grande espetáculo é o amanhã”, comenta.

A capa foi produzida pelo design gráfico Gutto Paixão com prefácio do ex-prefeito, Ministro Olavo Drummond. “Além de currículo riquíssimo como homem público, Olavo foi um grande poeta, um ser humano singular”, relembra.

Vilma Cunha é dinâmica, foi a primeira mulher a ser presidente da Academia Araxaense de Letras e é uma das autoras mais atuantes no cenário cultural de Araxá. Com dezenas de livros publicados, prêmios, tradicional coluna em jornal e ativa presença nas redes sociais, suas crônicas e poesias traduzem como ninguém o cotidiano, as dores e alegrias do nosso dia a dia.

O lançamento do livro abre a programação do Pré-Fliaraxá e será no dia 14 de junho às 19 horas no Museu Calmon Barreto. “De Aquecer Invernos no Coração” conta com patrocínio da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), tendo apoio cultural do Jornal Correio de Araxá e Prefeitura Municipal por meio da Fundação Cultural Calmon Barreto e da Escola de Música Maestro Elias Porfírio de Azevedo.

Deixe um Comentário »